GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…


Deixe um comentário

Ainda o rescaldo do Passeio ao Rojão dos Caça Mouros

Aqui fica o video muito bem realizado pelosCaça Mouros.


O segundo 44‘ é dos mais emocionantes… e também o 520”, onde se pode ver um camarada do pedal a praticar mergulho…

Boas pedaladas…

Anúncios


Deixe um comentário

Passeio ao Rojão do Grupo BTT Caça Mouros

Segue o relato de uma participação num passeio “domingueiro” organizado de forma brilhante pelo Grupo de BTT Caça Mouros.

Acompanharam de forma simpática e cordial os 380 participantes, através de trilhos ainda muito enlameados do Castelo da Maia até Covelas na Trofa.

É de admirar ver que  um grupo de amigos unidos pelo gosto de andar de bicicleta, consegue arrastar quase 400 bttistas que de forma espontânea compareceram para umas pedaladas por terras da Maia e Trofa. Um grande Bem Hajam para eles.

Para a história dos GandaM@lhos fica o “elevado” número de presenças (3) !!!, pois o montinium também apareceu para desenferrujar as “canetas” . Como sentia muitas saudades de pedalar começou com um ritmo demolidor, desaparecendo da nossa vista,  depois corrigiu,  para terminar bem “empenado”.

O zenight com uma ressaca monumental, fruto dos exageros da véspera, começou cedo com problemas no desviador traseiro que teimava em não segurar a corrente no sitio certo, depois a “coisa” lá acamou e lá deu para chegar ao “Rojão” e regressar sem  mais problemas.

O tubaralhas, também meio ressacado, estreava o seu novo “upgrade” na RR, nada mais nada menos do que uma Rock Shox SID Race! Sempre forte a subir, e também com alguns problemas de transmissão no inicio, aproveitou as descidas algo perigosas para conhecer a suspensão, mas ainda não consegue verificar as diferenças.

A SID do tubaralhas...

O percurso era muito acessível permitindo rolar com alguma facilidade, excepto nos troços mais enlameados, onde a progressão era complicada e demolidora para as maquinas.

Gostei muito dos “Rojões”, marcharam 2 e se calhar ainda ia outro, mas fica para outra vez. Encontramos e ficamos na conversa com os amigos dos BTT Mabecos, enviando daqui um abraço para eles.

Repondo niveis de rojão e de branco...

A saída para o regresso foi algo atribulada, pois era Domingo de festa, e havia uma verdadeira romaria lá em Covelas. Mas mesmo assim correu tudo muito bem.

O regresso em plena festa...

Para lavar as bikes no percurso havia este ribeiro…, aqui documentado e muito bem ultrapassado por um Caça Mouro.

Lavagem de Bikes...

Resultado: Mais um belo dia de BTT, venham lá agora os Trilhos dos Moinhos em Barcelos.


1 Comentário

Spinning…? É para ciclistas ou não?

É uma pergunta interessante por causa da sua actual popularidade e do facto de que alguns ciclistas frequentam aulas de spinning no inverno.

Acredito que a maioria das pessoas pode beneficiar de aulas de spinning, como eu próprio, que vejo melhorar gradualmente o meu rendimento, após 3 meses de spinning duas vezes por semana.

Tudo para o mato...

A  forma de pedalar das bicicletas de Spinning é bem diferente das de BTT, acho eu, porque no mato é algo dificil manter sempre a mesma cadência, no entanto assemelham-se bastante às de ciclismo de estrada.

Assim, é quase certo que pode melhorar o seu desempenho na bicicleta frequentando aulas de spinning.

Existem vários factores externos que podem influenciar a percepção do rendimento de uma aula de spinning; A temperatura da sala, a humidade, a música, o instrutor, etc.

Assim, pode-se  muito bem achar que se trabalhou no duro, mas tal pode não ter acontecido. Fala-se em aparelhos de medição de potência que podiam dar qui uma luzinha.

Acho que é impossível comparar 1hr de spinning com 1h de ciclismo de estrada.

Convém recordar que a maior parte das aulas de spinning estão orientadas para pessoas que apenas pretendem manterem-se em forma.

Pretende-se entreter pessoas que entram na sala uma ou duas vezes por semana, e não ciclistas que têm outras exigências e que podem treinar até 12 ou mais horas por semana.

Por isso, dependendo dos objectivos de cada um é uma boa opção a ter em conta, principalmente nestes meses de Inverno.


Deixe um comentário

Ele há coisas fantasticas…! não há..?

Que dia…!

Cedinho...

Pronto...

Pronto...

Pois lá vai aqui mais uma pequena crónica de uma brilhante participação dos GandaM@lhos, desta vez mais para Sul, em Sepins, Cantanhede.
Grande maratona…!

Cedinho, lá rumaram a Cantanhede os GandaM@lhos tubaralhas e zenight. Já com os dorsais amavelmente levantados na véspera pelo nosso colega e amigo Luís Tomé, aliás grande atleta,(13.º da Maratona 70 Kms !!!) ficamos assim dispensados da habitual confusão de levantamento de dorsais.

Na cauda do pelotão...

Na partida eram cerca de 900 atletas, o tempo era  o “ideal para a pratica da modalidade”, temperatura amena, com uns chuviscos para refrescar.

Em grande velocidade...

Tiro de partida, e na cauda do pelotão, lá fomos…andando muito rápido, pois o terreno assim o permitia, na primeira hora andamos mais de 16 quilometros!!


Depois a coisa complicou, e de que maneira…! começou o inferno da lama, impressionante a quantidade…e a extensão, foram mais 20 de quilometros num sacrificio demolidor para as “maquinas” e para os “pilotos”, bem dificil de transmitir aqui.

Primeiros contratempos mecânicos

Este sacrificio foi interrompido apenas a 6 escassos quilometros da meta, altura em que fomos brindados por um autentico “manjar” de chouriças assadas, orelha de porco,entremeadas grelhadinhas na hora, pão e “tintol” do bom…

Tubaralhas ... nas febras...

tubaralhas, febras e tintol...

O tintol...

Perante tal paraiso, e informados de que faltavam só 5 ou 6 Kms, decidimos que ali se terminava a “prova”…
Acabamos por ficar lá mais de meia hora…a comer e a beber, na conversa com alguns colegas do pedal.

Fim de prova...

Depois foi o bom e o bonito, a coisa empinou, a lama não nos abandonou, e o tubaralhas ficou perto de um ataque de nervos, de tão “enjoado” que estava com a lama.
Para ajudar à festa, a transmissão da RR dele já não colaborava, resultado do massacre a que foi sujeita.
Por esta altura os pinheiros já não estavam quietos, e as tangentes já eram mais que muitas… seria dos copitos…???

Estado da BeOne...

A RR 8.2 no final da tareia

A “BeOne” aguentou muito bem a prova, mas já no final o desviador traseiro começou a dar sinais de cansaço…Oficina com ela, para preparar os desafios que se avizinham.
Terminada a luta com o lamaçal, controlamos na chegada com os seguintes registos:
438º – 243 – Paulo Jorge Jaquel Pinto GandaM@lhos 03:48:04 3
439º – 232 –  Jose Carlos Carneiro GandaM@lhos 03:48:24 3

O belo do almoço...

O pessoal já a dar ao dente...

Banho ainda morno, o que foi uma grande sorte…e depois o famoso almoço de Sepins, o belo do leitão, bem regado com espumante.
Resultado: Mais um dia fantástico a fazer aquilo que gostamos cada vez mais… BTT!

O nosso amigo e colega Tomé e o seu colega de equipa Paulo Pereira... Grandes craques... 13º e 14º da Maratona

O Tomé em acção:

Tomé na luta pelos 1.ºs lugares...

Para terminar uma reflexão:

Todos tentam realizar algo grandioso, sem reparar que a vida se compõe de coisas pequenas.
(Frank Clark)

Venha a próxima….

Dados GPS


1 Comentário

Coisas de treinos…

No pontapé de saída destas coisa de treinos e melhoria de forma, acho que à partida têm que estar presentes obrigatoriamente quatro coisas; Um medidor de frequência cardíaca, um software para registo de dados, a “ciência” para interpretar os dados recolhidos, e a mais importante, a BIKE !.

Perguntei uma vez a um monitor de ginásio, qual o melhor treino para ciclismo, e imaginem a resposta… “Andar,… Andar…, e Andar …. de bicicleta!

E foi mesmo um GPS com Medição de Frequência Cardíaca (MFC)  aliado ao  software Sports Tracks, que me despertou a curiosidade destas coisa de treinos.

O GPS (MFC):

Ndrive Sports;

O NDRIVE

Adquiri este equipamento para substituir o meu “perdido” conta quilómetros, e claro está para poder guardar as “voltas” com facilidade no PC, e como também tinha a função cárdio, estando barato na PatoCycles, lá marchou.

O Software;

O software original do relógio até é engraçado, faz uns gráficos porreiros, com velocidade, altimetria, e batimentos cardiacos, mostra o percurso no Google Earth, mas é apenas uma montra.

No forumbtt vi lá falar deste SportsTracks,  e daí a o instalar foi um ar que lhe deu.

Em traços gerais trata-se de um calendário onde se anotam todas as actividades físicas, os dados do atleta, o seu equipamento, produz relatórios, e … sei lá que mais.

Existem melhores ?, se calhar, mas este está em português, é grátis, e como já me desenrasco com a coisa, fica para já.

Tenho lá os “tracks” de todas as provas em que participaram gandamalhos, mas para a analise detalhada de dados de treino também não dava. Foi então por acaso que descobri um plugin que faz “milagres”, o “Training Load“!

Algumas imagens do SportTracks:

Os Trilhos dos Cistercienses

Vista do equipamento do atleta...

Os dados cardio da visita ao Salto...

E umas do Training Load…

Os primeiros graficos do zenight...

e outra mais complexa…

O zenight daqui a uns anitos...

(Continua…)


Deixe um comentário

Abordagem ao treino…e aos GandaM@lhos…

Na entrada do 2.º ano de existência dos GandaM@lhos, cabe aqui fazer um balanço e estabelecer alguns objectivos para os tempos que se aproximam.

Por Novembro do ano que passou, adquiri a BeOne, fruto de um bichinho que começou a roer…por causa de uma voltinha na praia com o brocas pelo Verão, com uma bike emprestada. Depois foi ver bikes, tentar perceber  os níveis de equipamentos, marcas, modelos, etc.

A BeOne foi a escolhida, em face do escasso orçamento disponível, e por achar que seria suficiente para fazer uns passeios no mato. Logo após a primeira participação num “Raid” de menos de 30 Kms, cheguei à conclusão que este é um desporto bem mais exigente do que aquilo que imaginava, quer por exigência do material, quer pela exigência fisica que obriga. A BeOne  já quase não tem peças de origem, no entanto, agora  no meu entender já está capaz de suportar  qualquer trilho por mais exigente que seja.

Já quanto ao ciclista, a renovação e evolução não é assim tão fácil, pois a forma fisica ainda não está à venda…

No final do Raid de Sobreira de 2009, a primeira prova organizada em que participamos,  o ciclista que terminou aquele percurso debaixo de chuva e frio estava de tal forma rebentado, que ainda hoje nao tenho palavras para o descrever.

Rebentado...

Com o passar do ano e com o avolumar do prazer sentido ao praticar esta modalidade com os GandaM@lhos resistentes, estabeleceu-se um objectivo genérico de participar em provas com maiores distâncias, as Maratonas… tipo Serpa, Portalegre, ou Idanha, e terminar essas provas míticas em boas condições físicas.

Assim, isto tudo para dizer que vou tentar partilhar com o pessoal aquilo que vou lendo sobre o treino de BTT ou ciclismo,  para o por em pratica e atingir o objectivo proposto.

Em português infelizmente não existem muitos conteúdos acessíveis sobre esta matéria, de forma que tive que recorrer ao inglês, e ir traduzindo com calma os conteúdos lidos e que penso partilhar.


Deixe um comentário

As “receitas” do sucesso…

Como a saudade de andar de bike já atormentava o espirito do pessoal, lá se conseguiu juntar 3 gandam@lhos, mais um recruta que pretende prestar provas de ingresso neste verdadeiro “dream team” do BTT Mundial…

Reunião na marina, pelo inicio da tarde de sábado passado, local habitual para a exploração dos habituais trilhos…partida um pouco atrasada, pois o montinium decidiu meter conversa com uma catraia num semáforo, sobre para-choques…

Céu limpo… pouco nublado, mas algum frio e com poucas horas de luz pela frente, lá foi o pessoal directo ao tasco da Senhora do Salto para uma “receita” e voltar antes que escurecesse.

Que as nossas rodas de trás...

Que as nossas rodas de trás....

andem sempre para a frente....!

Para a história do grupo, fica sem dúvida o “brinde” que propôs o tubaralhas em pleno momento de confraternização já no tasco: “ Que as nossas rodas de trás… andem sempre para a frente…” frase inspirada e que fica desde já aprovada como lema deste grupo de amigos que gosta de andar de bicicleta. Pode ser lida na cabeça deste site.

Momento de rara beleza que só atesta a qualidade da(s) “receita(s)” no plural, pois a subida para lá dá muita “sede” a certos atletas…

Mais notas a salientar; o montinium de certeza que anda a treinar em segredo… o tubaralhas parece um pouco cansado, e o zenight como o costume…o novo recruta mostra-se bastante rápido quando a coisa desce, mas ainda não está na sua melhor forma quando toca a subir…

Frio, muito frio, no regresso a congelar orelhas, mãos e pés do pessoal menos preparado… para este tempo é mesmo preciso material apropriado. Mas no final uma tarde muito bem passada, a preparar a Meia Maratona de Sepins do próximo fim de semana.

Resumo NDRIVE Sports