GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…


Deixe um comentário

Taça de Portugal de XCM#1 – 2012 – Mais uma aventura…

Mais uma crónica para a posteridade, e desta vez o local foi na cidade da Batalha, e o palco foi a 1.ª prova da Taça de Portugal de Maratonas XCM.

Recém entrado nestas coisas de competição, como individual, sem treinadores, nem treinos, sem equipas, nem grupos, competindo apenas comigo, na tentativa de superar sempre um pouco mais os limites do razoável, lá compareci à chamada. É uma maneira diferente de gostar de pedalar…

Foto da partida

E, o ambiente à volta do “circo” daqueles que competem é realmente encantador para quem gosta da modalidade.

A azafama matinal das equipas, atletas em rolos para aquecerem, verificações mecânicas, para que tudo corra bem, maquinas que só se vêm em revistas, é sem dúvida um espectáculo digno de poder acompanhar de perto.

Pronto...

Poder privar, ainda que por breves instantes…, na mesma “box” de partida, da companhia de grandes campeões da modalidade, como o Carlos Cabrita, o Vitor Gamito, ou o Luís Tomé, e outros, que ainda não reconheço, é moralizador, e trás consigo uma sensação especial, que ainda não consigo descrever com precisão.

zenight + Luís Tomé

A Maratona do Centro 2012, foi para mim a 50.ª participação em eventos organizados, e a 1.ª como atleta federado.

O percurso escolhido era de 90 km, com perto de 2000 m de acumulado de subidas, no reino da pedra, em plena Serra de Aires e Candeeiros. Nunca tinha entrado numa prova com tamanha distância.

A vitória final pertenceu ao atleta Fábio Ferreira, com uma 29er com o fantástico tempo de 3:35:43 !!! e nas senhoras, saiu vencedora a titular do troféu, Ana Antunes.

Eu acabei também por sair vitorioso e terminei mesmo particularmente feliz, por ter conseguido completar aquele massacre de pedra, inteiro, capaz ainda de andar mais… 50 metros… de bike. 😉

A prova correu de forma exemplar, com marcação irrepreensível, e onde tudo respira saber fazer bem para perto de 1500 betetistas. Com pontos de assistência intermédios, aos 20, 40, e 60 km, e com vários pontos de agua, tudo marcado no GPS, ajuda muito. Muita pseudo organização de eventos deveria frequentar estes eventos, e tentar imitar o que se faz bem.

Chegando à ZA2...

O percurso tinha muita zona de pedra, mesmo em subida, o que deixavas as pernas a arder, muita pedra a descer, que me obrigou a parar uma vez, pois os braços já não aguentavam mais pancada. Calhou de ser num dos locais mais espectaculares do percurso, e deu para, por instantes, contemplar a beleza circundante.

A suspensão da bicicleta, sem revisão,  não gostou do terreno, e acabou por verter o óleo quase todo, e perdeu curso, tornando a minha vida ainda mais complicada. Zonas rolantes, descidas rapidíssimas, BTT de grande categoria, sem dúvida.

Passamos à porta de um novo Centro de BTT da Batalha – Pia do Urso, e deu para ver de fugida, que deve ser fantástico passar ali uns dias para conhecer aqueles trilhos.

A minha performance, é bem fraca, último lugar da categoria Veteranos B, (classificação dos federados) mas já todos sabemos da história da lagartixa que não chega a jacaré, (…)no entanto sinto que há algum potencial de evolução, e por isso não posso deixar de estar bem  motivado para continuar este permanente desafio de superação. E pelo menos vou tendo o prazer de pedalar por este país fora, sem estar confinado aos limites do concelho.

Com a minha querida companheira sempre presente nas zonas de assistência a apoiar, com a agua e na alimentação, tornou o que parecia ser uma tarefa complicada,numa muito mais fácil de levar a cabo.

Fim de prova

Fica para ela o meu profundo agradecimento.

O meu "director desportivo"... 😉

A cidade da Batalha é acolhedora, sempre com a presença do belíssimo mosteiro, com infraestruturas modernas, e com boa restauração, fruto dos muitos turistas que a visitam.

Agradecimentos: ao Tomé, que colocou à minha disposição o apoio da sua equipa: C.D.Camarneira/ERA Cantanhede/Pneubox, e ao Sr. Costa da Sodhisa Bikes, que também ofereceu a ajuda da equipa: ASC/ Bike Zone

Fui! Ainda na ressaca de um fim de semana espectacular!

Track GPS ==>

Fotos no ====> 

O boneco da altimetria:

Anúncios


Deixe um comentário

Santos à porta de casa…

O titulo do post resume na perfeição o sentimento que trago de mais uma participação em maratonas BTT.
A Associação BTT de Sandim, Vila Nova de Gaia, realiza uma maratona BTT que já vai na sua 9.ª edição…
Por ser aqui bem perto de casa, decidi trocar os Trilhos dos Moinhos, de Barcelos, da semana passada, por esta maratona. Em má hora o fiz, pois acabei por encontrar um percurso que não gostei absolutamente nada. E quanto assim é pouco ou nada há para dizer.
Inscrito na maratona de 60 km, e ainda sem grande preparação, acabei por ser o último atleta a terminar a prova, 😦 bastante cansado, mas inteiro!
O percurso escolhido acabou por se verificar (para mim…) demasiado exigente para a relativa curta distância, fiquei com a ideia de que andaram a escolher um percurso apenas com o propósito de “estourar” com os participantes.

Subindo construtivamente...

Subindo de forma construtiva...

Muita subida, (2200 metros de acumulado) Locais absurdos, em que havia que “escalar” muros, no estrito termo da palavra, percurso em alguns locais com um grau de perigosidade muito grande.

Aqui fica um video feito pelo MrRampinhas, duas semanas antes, em reconhecimento naqueles trilhos. ATENÇÃO: Há sítios onde a maratona passou, e outros NÃO! Quem fez a maratona sabe por onde passou…

Há sempre quem goste, e há que respeitar, e parece que por aqueles lados é assim que se usa…
A organização esforçada, acabou por ter um trabalho que considero muito pobre, desde a promoção do evento, à informação disponibilizada, nem sequer a lista de inscritos foi actualizada na véspera…
Uma experiência que não voltarei a repetir, e que apenas aconselho a atletas “prós”, e àqueles que os querem imitar.
De GandaM@lhos também nada de relevante a assinalar, apenas de realçar o excelente espírito de equipa que se vive…para além disso pode-se apenas informar que o Sugar está num fantástico momento de forma, que lhe permitiu iniciar a maratona cheio de vontade de completar os 60 km, mas, como estava a andar tanto… decidiu chegar ainda mais cedo, tendo atalhado para os 40 km. A juntar a isto, o meu brilhante último lugar…! Não há condições… 😉

Resta endereçar os parabéns ao brilhante vencedor, Paulo Castro Santos, atleta muito promissor, que tem um futuro brilhante pela frente.

Track GPS- Não publico, porque a prova passa em algumas propriedades privadas.

Fotos: Não há!

Classificação: Já disponibilizadas! AQUI!

FUI! … Entrar em estágio para a Maratona do Centro!