GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…


Deixe um comentário

Até ao lavar dos cestos…

Vai com algum atraso, a divulgação de mais um excelente vídeo que o Mr Rampinhas fez no Passeio das Vindimas na Folgosa do Douro.

As imagens captadas conseguem traduzir na perfeição o que por lá se passou.

É sempre uma sorte ter o Mr Rampinhas naqueles passeios onde se vai…. 😉

Fiquem bem!

Anúncios


Deixe um comentário

BTT ”D’ Ouro” na Folgosa…

Decorreu no passado fim de semana em Folgosa do Douro, a prova que decidia os campeões de BTT  masculino  e femininos das associações de ciclismo de Bragança e de Vila Real;

O Campeonato XCM de Trás os Montes e Alto Douro.

O palco escolhido foi a localidade de Folgosa, cuja associação recreativa já organiza um Passeio BTT de há 8 anos para cá, sempre com boas referências.

Paragem para foto da KTM…

Em pleno Douro Internacional, e já com os betetistas abraçados pela espectacular paisagem que ali reside, embora incomodada às primeiras horas da manhã por uma chuva intensa que pretendia estragar o desenrolar das duas provas previstas; a do campeonato XCM e a de um passeio, cuja dureza parecia comum, embora com distâncias diferentes, dei início às hostilidades…

Cedo percebi que por ali só havia duas situações: Ora subidas, ora subidas ainda maiores…, com inclinações absolutamente aterradoras para as minhas pernas…

Verifiquei via GPS, pelo menos 0,8 km com 22% de inclinação média, até o dito ”inclinómetro” deixar de contar…

Cedo, também verifiquei que a KTM trazia um “problema sério” no pedaleiro e nos rolamentos das rodas, que a ”impediam” de funcionar com o mínimo de força e cadência necessárias para tornar a coisa divertida…

Assim, conformado, lá fui a um ritmo bem lento até ao fim de uma subida inicial de 11 km, que terminou em Armamar, onde pude repor energias, e tomar a decisão de alterar o rumo para um passeio mais pequeno…

Dali, até ao porto de honra foi tudo bem mais calmo, com duas paragens para fotos, e após dois deliciosos copos de porto 😉 , passou-se tudo muito mais rápido e emocionante até ao final, acabando o dia com 30 e poucos km de BTT  “D ouro”… e com os travões completamente nas ”lonas…”

Paragem para foto do zenight… (simpatia de colega do pedal…)

Tive alguns problemas no registo GPS,  pois houve partes em que o mesmo esteve acidentalmente parado, pelo que o gráfico apresentado não reproduz com fidelidade o percurso efectuado.

De uma forma geral, gostei da organização, que proporcionou um percurso muito exigente, com marcações suficientes, abundantes reforços, com vinho do porto e tudo… 😉 , almoço muito bom, à moda da Beselga, com umas entradas espectaculares, que tiravam o apetite para o almoço em si… Os resultados também foram disponibilizados, creio que ainda no dia da prova.

Entradas para o almoço…

Gostei muito de fazer turismo por ali, onde um espectacular (e económico!) jantar muito bem regado no Pinhão a 15 km da Folgosa mereceu nota de destaque, e ainda a simpatia e conforto registados na Quinta da Azenha, local onde pernoitei a 500 m da partida… 🙂

Cabe também fazer aqui uma referência aos atletas que levam o BTT a sério, e que vão tornando esta modalidade num caso de sucesso cada vez maior.

Assim, o vencedor da maratona masculina foi o atleta sub23, Carlos Leal,  que completou aquele exigente percurso da maratona  em apenas 3 horas, (!!!)  e a vencedora feminina foi a atleta Márcia Salvador.

Troféus e camisolas para os campeões

Fica AQUI a lista dos restantes consagrados.

Fica também o relato de mais uma bela jornada de BTT.
FUI!
As  fotos possíveis no


Deixe um comentário

Mais BTT em Trás os Montes!

Vilar do Monte, freguesia do concelho de Macedo de Cavaleiros continua em grande forma e recebeu pela 10.ª vez consecutiva um conjunto bem razoável de betetistas que ali se deslocaram para pedalar naquela bonita região.

O dia de Outono limpo e relativamente fresco, prometia uma agradável jornada do pedal.
O programa constava de uma Maratona de 67 km a contar para o Open de Maratonas da A. Ciclismo de Bragança, com + de 2000 de acumulado de subidas, que prometia dureza, que se veio a verificar, pois foram unânimes os comentários que recolhi no final quanto à dureza do percurso

1.ªs pedaladas…

Disponíveis também percursos menores, e ainda um passeio pedestre para acompanhantes.
O relevo circundante a Vilar do Monte, impõe que a prova tenha sempre uma parte inicial bem “rolante”, onde o ritmo é sempre muito vivo, antes de se iniciarem as dificuldades da subida às alturas da Serra de Bornes. Para quem pode, esta dura subida acaba por ser atenuada pela espectacular paisagem que se vai desfrutando ao longo do seu percurso, ora por atravessar autênticos túneis de vegetação, onde já nem o sol consegue penetrar, ora pela impressionante extensão de terra transmontana que se consegue avistar a partir dos seus pontos mais altos. Verdadeiramente belo!

Paisagens

Diferente do ano passado, foi o facto de não haver uma única fita a marcar o percurso… usando-se apenas placas e cal no chão. Ousado esquema, mas que ali, fruto do imenso trabalho, resulta na perfeição, com a totalidade no percurso marcado de forma irrepreensível.
Acresce ainda o facto de que terminada a maratona, não fica nem uma placa de sinalização no percurso, facto que pude constatar…

Ainda comparando com o ano passado, apenas senti falta de um “single track” espectacular que houve no início da maratona de 2011, quanto ao mais tudo 5 estrelas.

Subindo…

E senti também a falta de terminar a prova… Mais uma desistência! Desta vez por motivo de rasgo no pneu traseiro, já após ter feito toda a imensa subida ao cimo de Bornes. A tecnologia para desmontar a válvula tubeless não foi muito amigável para mim, pois não a consegui retirar para colocar uma câmara normal, pelo que acabei por cortar a meta a bordo do carro de bombeiros que fechava o percurso.

Primeira vez que tal sucede, mas também uma experiência bem radical, pois viajar de pick-up no ambiente natural do BTT, garanto que trás mesmo muita adrenalina…
Com o orgulho ferido… 😦 , e com umas mazelas feias no quadro da KTM, lá terminei mais uma jornada com 50 km de excelente BTT, junto de pessoas bem simpáticas, num ambiente muito acolhedor, que “obriga” a lá regressar uma vez mais em 2013.

Parabéns à Vimont, pois consegue organizar um excelente evento de BTT, mesmo com as limitações que uma localidade com pouco mais de 100 habitantes tem.
Quanto a mim: Melhores dias virão….!
Classificações (provisórias) da maratona…

As (poucas) fotos possíveis no

O meu registo

O percurso (incompleto…) no .