GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…


Deixe um comentário

2012 em números…

Ainda em plena e completa fase de descanso, e nesta recta final de 2012, cabe aqui fazer um pequeno exercício de contabilidade e de rescaldo para não deixar “morrer” o blog GandaM@lhos.

Espero retornar esta semana a umas pedaladas nocturnas, e a umas corridas matinais para começar a aligeirar a carga que se vai acumulando rapidamente no “camelback” frontal…

O ano de 2012, acabou por ser muito interessante, pois acabei por experimentar tirar licença desportiva da FPC-UVP, em parte por causa do seguro, em parte porque o “bichinho” das grandes provas de BTT ainda aqui mora,  e acabou por ser uma experiência muito enriquecedora. Pedalar e conviver com atletas com grande experiência revela-se muito útil, pois sempre se vai reparando em pormenores e comportamentos, que vão enriquecendo a forma de estar na modalidade.

Com uma nova montada, participei em 3 provas da Taça de Portugal de XCM e participei em 4 provas no muito bem organizado Campeonato Regional de Maratonas XCM da Associação de Ciclismo de Bragança, entidade de que sou orgulhoso associado. Classificação AQUI.

Continuei a comparecer e a repetir várias presenças naqueles eventos onde gosto de pedalar, e, experimentei ainda uma prova ultra, SRP 160, a solo, que me deu um prazer muito  especial por terminar.

Ficam então alguns gráficos com números que mostram a evolução ao longo dos anos, deste gandam@lho que vos escreve:

Distancia percorrida por  ano:

Distância total por anos na modalidade

Nesta data ainda com menos quilómetros que no ano de 2011, mas espero ainda durante o próximo mês fazer uns 200 para superar os 3550 de 2011.

Metros de subida:

metros de subida por ano

Vale o que vale, mas é subir ao Evereste 3 vezes… 🙂

Número de actividades de ciclismo:

número de actividades por ano

Finalmente, o tempo dispensado à pedalada…e não só….

Tempo total das actividades por ano

Fica para outro post,  a enumeração de objectivos para o próximo ano.

Fui!

Cumprimentos, e larguras….


2 comentários

Beselga, o regresso do prazer em pedalar…

Atravessando este deserto conjuntural em que vivemos, por força da cada vez maior escassez de rendimento disponível, da crescente crispação entre pessoas, do clima de desalento que se vai instalando, acabam por restar poucos motivos para se poder sorrir.
E no particular caso deste que vos escreve, também a desmotivação vem percorrendo o seu caminho, levando a um completo alheamento de tudo o relacionado com as bikes, desde o pedalar até ao desinteresse sobre notícias, fóruns, enfim, uma fase negra, bem escura…

Até que… Beselga aparece…

Tendo estado quase a cancelar a minha participação, pois a motivação já conheceu melhores dias, decidi , ainda assim regularizar a inscrição e rumar em  direcção a Beselga.

Evitando auto estradas, o que me levou novamente até terras do Douro, por Peso da Régua, Armamar, Moimenta da Beira, e Freixinho, local escolhido para pernoitar. Esta “fuga” às portagens acaba por ser gratificante, pois acabamos por nos familiarizar com o nosso país de uma forma bem mais atractiva, se compararmos com rails, separadores centrais, e esporádicas áreas de serviço…

A foto matinal da ordem…

E que dizer? Já se me esgotam as ideias para tentar descrever a alegria que sinto quando pedalo por aquelas terras. Tenho a estranha sensação de que por um qualquer motivo, ali já pertenci…

Pelo 3.º ano consecutivo, {(2010, 2011) meu recorde de participações completas no mesmo evento} lá compareci, com o estado de espírito desanuviado e tranquilo para mais um evento.

Novidade foi o facto de o GPS ter dado o “badagaio”, e se ter recusado a trabalhar, fruto talvez do abandono a que foi votado nestes últimos tempos.  Assim, ia fazer a prova sem qualquer informação sobre distância, velocidade, tempo, relevo, etc,  facto que ao invés de me perturbar, acabou por dar ainda uma maior tranquilidade, e assumir o passeio na sua plenitude.

Bora lá!

Assim, em dia de sol limpo, e com o frio como convidado de honra, pois quando cheguei à Beselga, o termómetro acusava apenas 4º, e após realizadas as habituais verificações de ar e lubrificante, foi tempo de ingressar na cauda do extenso pelotão de ciclistas que compareceram à chamada. ( muito perto de 600…)

Depois, vem a inexplicável sensação de prazer que desde logo se começa a sentir ao entrar naqueles trilhos companheiros de uma paisagem que nos penetra a alma, ainda encharcados, por força das chuvas que os visitaram nos dias anteriores.

(Vídeo feito por colega do pedal do BTT Foz Côa)

Repetindo uma das mais espectaculares subidas em BTT que conheço, a subida às eólicas, de uma serra que desconheço o nome, e onde se pode ir avistando uma enorme fila colorida de ciclistas que se estende por quase toda a sua extensão, separados apenas pela força que as pernas transmitem a cada um…

Espectáculo digno de ser visto, mesmo por mim, que uso graduação nos óculos quase severa…

Foto by Paulo Ministro

Novos trilhos que nos fazem sentir verdadeiros pilotos de BTT, onde o sentimento de prazer se vai prolongando minuto após minuto, e a adrenalina se torna rainha, mas uma rainha tranquila,  onde as emoções transmitidas fluem naturalmente sem sobressaltos.

A maratona da Beselga, também presenteia os participantes com uma faustosa reposição das energias gastas durante e após o esforço…

Pude, durante o passeio “refundar” as calorias gastas no esforço com um vasto leque de escolhas, que iam desde bolos, barras, frutas, agua e sumos, e após, com o mítico almoço, com as famosas “entradas” que me atestam as medidas. Nutricionalmente pouco aconselháveis, mas imensamente saborosas, constam de bola de carne, bolinhos de bacalhau, rissóis, chouriço assado, castanhas e a famosa feijoada com feijões XL …, vinho… (bom), cerveja à discrição e sumos, resumindo… perfeito!

Uma palavra também para o melhor balneário que conheço, no complexo de piscinas de Penedono (a 6 km da Beselga) que oferece condições sem paralelo em eventos de BTT que frequento. Cabines INDIVIDUAIS!!!  num complexo com umas condições verdadeiramente espectaculares, a merecer visita fora do âmbito ciclístico.
Neste particular, também tomei conhecimento que fizeram melhoramentos nos balneários que já existiam na Beselga, tornando-os mais funcionais.

E, como já vai longa a palestra, cabe aqui terminar, com um agradecimento especial à Associação Beselguense, por ter “salvo” um candidato a betetista, recuperando-lhe a motivação por mais algum tempo, pelo menos por mais um ano, para nos voltarmos a encontrar em 2013…

Classificações AQUI.

Rescaldo no Forum BTT AQUI.

Desta vez não tenho aqueles habituais registos XPTO’s de tracks e gráficos, e esforço cardíaco, porque… não tive meios para os recolher, mas sempre fica a gravação feita pelo Nokia… ;-):

As  fotos possíveis no