GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…

Regresso às origens…

Deixe um comentário

NGPS é um conceito curioso de abordagem ao BTT. Na prática pretende-se valorizar a autonomia do atleta, fazendo-o escolher entre dois percursos de dificuldade adaptada ao seu nível de treino, mas apenas sendo fornecido um track GPS.

Peloton...

Peloton…

Não existem marcações físicas no terreno, nem qualquer apoio logístico aos participantes. Este aspecto é salvaguardado através de pontos de interesse que são colocados no referido track, e permitem ao atleta localizar pontos de água, locais onde se pode alimentar, pontos perigosos, etc. Acaba por ser uma forma de regressar ao verdadeiro espírito de evasão associado à prática de Bicicleta Todo Terreno. Não existe competição, e o prémio é um sorriso especial quando se termina são e salvo uma aventura destas.

NGPS_2013_3

Frecha da Mizarela by Anita

Como andava curioso por experimentar este conceito, pude aproveitar a oportunidade de que a organização da etapa 1 deste circuito estava a cargo dos amigos da ECOBIKE, e sendo relativamente perto de casa, e  tendo-se juntado a vontade com o desejo, lá compareci cedinho em Arouca, junto ao secular e conhecido mosteiro.

Logo na chegada ao local de partida se verifica uma realidade bem diversa dos habituais eventos de BTT. Não há aquela azáfama do pessoal todo junto, carros carregados com bikes por todos os lados. Os betetistas vão chegando, levantam frontal, e vão à sua vida a solo ou em grupos.

Subindo... (foto do Vitor Correia)

Subindo… (foto do Vitor Correia)

Ainda assim a ECOBIKE montou um estaminé digno de prova internacional, para ajudar os cerca de 400 inscritos que decidiram aceitar para conhecer os trilhos de Arouca. Realce ainda para o speaker de serviço (El Trepador 😉 ) que ia dando constantes indicações sobre o trajecto e seus perigos.

A ferrugem acumulada que levo este ano ainda não me permite fazer distâncias grandes, …  (nem pequenas… 😦 ) mas a vontade é muita e tudo se resolve.  Assim, tinha combinado com uns colegas vizinhos de pedaladas, a boleia para não seguir sozinho, e também para testar um GPS potentíssimo que o amigo KiKo ia estrear.

O percurso escolhido foi o mais pequeno, mas que prometia grande dureza, e que pode ser conhecido neste documento, que o descreve com grande detalhe. AQUI.

E posso dizer que foi uma espectacular escolha por parte da Ecobike, fruto da sua beleza, diversão e dureza.

Aguardo com grande expectativa o video do Mr. Rampinhas, que certamente fará jus ao que aqui afirmo.

Quando a coisa começou a descer foi mesmo de tirar a respiração, tal a quantidade de adrenalina que provocava no pessoal. Espectacular!

Curiosidade, foi o facto de eu acabar por ter sido “promovido” a “chefe de fila” do mini pelotão, porque o pessoal achou que eu dominava as artes da navegação por GPS.  (ai se eles soubessem do meu sentido de orientação… 🙂 )Ainda assim a coisa nem correu mal de todo, uns pequenos enganos por excesso de velocidade a descer, mas nada de especial. A subir ninguém se enganou, e ainda tiveram que esperar algum tempo pelo “guia”… que vinha muitas vezes entretido com o TBCAD (transporte de bicicleta com apoio dorsal)… 😉

NGPS_2013_2

Final…

Apenas duas incidências técnicas no grupo (um furo e uma corrente mega encravada) que fizeram perder algum tempo, mas nada de relevante. Ninguém se aleijou e chegamos todos juntos ao fim com um enorme sorriso de satisfação.

E ficou mais um dia de BTT daqueles que dificilmente irei esquecer. A Ecobike esteve a todos os títulos irrepreensível, e acho que poderá ter habituado mal os novatos no NGPS, pois mimos como as laranjas na divisória dos percursos, ou o porto e pão de ló de Arouca no final, ou os banhos escaldantes, certamente não se repetirão.

Quanto à filosofia NGPS, é uma daquelas coisas que dá que pensar, e apenas para  admirar o conjunto de pessoas que perseguem esta maneira de viver o BTT,  e que organizam estes eventos, proporcionando aos outros uma perspectiva bem diferente da correria desenfreada que se vai vendo cada vez mais em muito passeio e maratonas btt por esse país fora. Acho espectacular o conceito de autonomia e de evasão que permitem estes eventos. Certamente participarei em mais.

A minha directora desportiva, uma vez mais acompanhou da forma possível, mais este evento em que participei, e entreteve-se numas caminhadas pelo Merujal e pela Mizarela e fez este relaxante video que partilho.

E fotos brutais, onde destaco esta:

quando alguém nasce...

quando alguém nasce…

e ESTA:

...nasce selvagem... não é de NINGUÉM!

…nasce selvagem… não é de NINGUÉM!

FUI!

O gráfico da ordem:

Altimetria

Altimetria

As fotos possíveis no .

O meu registo .

O percurso  no .

Advertisements

Autor: ZeNiGhT

Equipe BTT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s