GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…


Deixe um comentário

A rota do Mineiro…

Era uma vez… num reino distante… onde durante muitos anos… a força indómita de gerações de homens de coragem extraiu das entranhas da terra o sustento seu, e o dos seus, à custa de sangue suor e lágrimas derramados na vizinhança do rio Tuela, e que me vieram encontrar na roleta desta vida…

Minas do mineiro....

Minas do mineiro….

O reino chamado Ervedosa, continua ainda hoje com a coragem herdada dos seus antepassados, intacta, e redobrada, e coloca no terreno ano após ano o meu evento de BTT favorito.

Assim sendo, suspeito que sou, digo que a cada ano que passa existe sempre algo que me marca, e me obriga a lá marcar presença.

Este ano, o clima prometia complicar, pois tudo indicava que a chuva também queria participar no evento. Apareceu apenas o frio, e em força.

Bora lá!

Bora lá!

Apareceu também um convidado especial que consegui convencer a pedalar por terras transmontanas, um confirmado icone do btt nacional,  o Couto da Ecobike, sendo que são já poucos os praticantes de btt, que ainda não se cruzaram com ele, por trilhos deste pais. Tenho a certeza que adorou a experiência, pese embora o facto de ter andado durante todo o percurso entretido em “picanços” com o pessoal dali… Também apreciou bastante o almoço… 😉

O dream tem da Edrosa ;-) + a Ecobike

O dream team da Edrosa 😉 + a Ecobike

Prova da vitalidade do BTT, verifico com alegria também a formação do “dream team” da Edrosa em BTT… O ZeNiGhT e a Marlene!, que está em crescendo de forma, e que em breve se vai tornar um caso sério na modalidade.

sai da frente... Guedes.. ;-)

sai da frente… Guedes.. 😉

Escolhi este ano o percurso da meia maratona, para ir ganhando forma para o grande desafio que se aproxima a passos largos. Percurso uma vez mais espectacular, logo com uma descida bem rapidinha no início, e depois quase só “descidas” até lá CIMA… terminando-se em beleza com uma contagem de 3.ª categoria, tipo “tour de france”….

Contando também para o Open regional de maratonas da ACB, a Ervedosa recebeu um leque alargado de bons atletas que disputam aquele troféu com grande empenho. O super Leonardo Lico, venceu uma vez mais a meia maratona, e já bebia uns finos na zona da meta quando eu terminei com quase 3 horas de empeno.

Na maratona, não consegui ver quem ganhou…. passou muito rápido por mim a 3 ou 4 km do final…. vi o meu amigo Ovidio Linhas, do BTT Ervedosa a subir a “motor” a última rampa, e sei que terminou em 3.º. Grandes atletas!

venha 2014!!!

venha 2014!!!

A simpatia daquela gente, o carinho com que nos recebem, o almoço que preparam, javali, galo, e vitela, merece ser registado, e merece mais ainda, uma visita, para poderem atestar por si a riqueza ali existente.

Uma vez mais o agradecimento sincero, ao BTT Ervedosa, e ao homem de Ferro 😉 que conseguem colocar aquele evento no terreno com uma classe fora do comum. Obrigado!

Os meus registos:

Ficam os meus registos:

O meu registo .

O percurso  no .

Altimetria:

só subidas...

só subidas…


5 comentários

A divina loucura…

Finalmente a remover  as teias de aranha deste blogue…

Ainda recuperando de uma arreliadora lesão no tornozelo, que já desde Março me tem impedido de pedalar por este jardim plantado à beira mar, regresso para deixar umas impressões sobre mais uma participação do GandaMalhos BTT.

CamelBack à frente...

CamelBack à frente…

Local escolhido para o regresso às lides ciclistas foi Bragança,  o evento foi a I Maratona das Cantarinhas, organizada pelo Velo Clube de Bragança, mais uma associação de boas vontades que se une para promover o ciclismo e um  estilo de vida saudável por terras transmontanas.

Num dia de céu limpo e temperatura amena, que tornou tudo ainda mais perfeito para pedalar, e após os habituais preparativos, lá saiu o compacto pelotón de betetistas para atacar um percurso espectacular nas imediações de Bragança.

Boa disposição

Boa disposição na 1.ª subida

Não posso deixar de afirmar que se trata da minha zona de eleição para pedalar, pois gosto mesmo daquele enquadramento paisagístico e do terreno, e podendo ser suspeito, são mesmo momentos de rara beleza os que se vivem em cima de uma bicicleta, em terras transmontanas.

O Velo Clube escolheu um percurso bem durinho para os atletas, (fiz a meia maratona com perto de 1000 m +) mas sempre ciclável, engalanado de paisagens de cortar a respiração, muitíssimo bem marcado, com muitos fotógrafos pelo caminho, e com um abastecimento de se lhe tirar o chapéu. Excelente trabalho do Velo Clube, mesmo sendo o primeiro evento organizado que puseram no terreno.

Ficará, no entanto, na minha memória por muito tempo a descida desde a serra de Nogueira até Bragança como um dos troços de BTT mais espectaculares que fiz até hoje. Não sei se foi das saudades de andar de bicicleta, mas foi mesmo a divina loucura percorrer aqueles quase 10 km de “gás à tábua”, onde o coração batia quase tanto como se de uma subida se tratasse. Muita adrenalina e prazer, e o pé magoado também gostou da tareia, só se manifestando no final. Fantástico!

Muito fixe...sim senhor

Muito fixe…sim senhor

Uma palavra também para a Associação de Ciclismo de Bragança, que patrocina a realização de um Open Regional de maratonas XCM/Ecopark Azibo, que rivaliza e supera em qualidade algumas organizações de eventos congéneres,  designadamente algumas perto de grandes cidades deste país… Um dos exemplos que posso aqui referir é o facto que me chamou a atenção, de que os controlos de passagem dos atletas são marcados numa pulseira fornecida ao atleta na partida e que no final é cortada para verificação individual.

Com um leque de promissores atletas que voam baixinho, é uma prova que merece ter mais visibilidade para trazer mais “tubarões” e atletas de lazer de outras zonas, para poderem apreciar o que de melhor se vai fazendo neste país em termos de BTT.

A divina loucura segue agora para Ervedosa, na Rota do Mineiro, a minha favorita desde há 4 anos.

Ficam os meus registos:

O meu registo .

O percurso  no .