GandaM@lhos BTT

A glória não está em não cair…, mas sim em levantar-se sempre…

IV Maratona BTT MK MAKINAS – Tábua – 30 de Maio de 2010

A apresentação de uma prova que parece muito interessante.

Na amena cavaqueira em Sepins com pessoal de lá, foi-nos dito que era 5 estrelas.

Cartaz da Prova...

Secretariado: PAVILHÃO MULTIUSOS DE TÁBUA(07:30-09:00)
Partida IV maratona btt MK MAKINAS : 9:30
Dificuldade: 40 kms (Média) / 70 kms (Média/Alta) – NOVOS PERCURSOS
Limite inscrições: 24 Maio 10
Valor Inscrição: 15 Euros
Acompanhantes: 8 Euros
O valor da inscrição inclui: Dorsal, reforço alimentar ao longo do percurso, seguro de acidentes pessoais, lembrança e almoço)
O nº do dorsal será atribuido após a recepção do comprovativo de pagamento, com a indicação do nome e nº de BI.
Pagamento por Transferência Bancária/Depósito
NIB:00180003164422380201 3
Nº Conta: 316442238020
Enviar cópia do comprovativo de pagamento através de e-mail ou fax com indicação do nº de PRÉ-INSCRIÇÃO.
email : pagamento@mk-makinas.com
Fax: 235413993
Contactos: 966026817 (Alfredo Ameal)
Info:
www.mk-makinas.com

Retirado do site acima:

Percurso e Altimetria

> Percurso

Meia-Maratona -> 40km

Distância total: 40,8 km

Acumulado total: 782 m

Altimetria

Altimetria

DESCRIÇÃO MEIA-MARATONA / 40 KMS

Distância Total – 40.800 mt


Com início no Pavilhão multiusos, a meia-maratona percorre as ruas da vila de Tábua durante 2.900 mts até entrar em piso de terra a subir ligeiramente. Percorridos 4.300 mts surge uma subida com 350 mts (GD – grau de dificuldade 2/3), de seguida entramos numa zona rápida, sempre com um piso excelente, até chegar a um local onde se atravessa uma estrada de alcatrão, dando início a uma pequena subida com 100 mts (GD 1/2), percorrendo, até aqui, 7.500 mts. Continuando por uns caminhos e trilhos que convidam a um bom andamento, chegamos a uma zona de pedras com um pouco de técnica para ir preparando os participantes para o que vão encontrar um pouco mais à frente. Percorridos 11.300 mts começamos a descer para um dos pontos de interesse turístico “ A GRETA “. Aqui, vale a pena apreciar como a natureza nos surpreende. Continuando por um ST ( single track) num campo aberto e entrando numa zona de bosque, começamos por subir 300 mts (GD 1/2) e entramos novamente num ST com 1.500 mts de extensão, que chamamos “ A SELVA”. Aqui é necessária alguma técnica, e, já agora, uma  máquina fotográfica. É uma zona espectacular. Convém avisar que os que têm um andamento mais lento neste tipo de piso, devem encostar e deixar passar os mais habilidosos… tecnicamente. Saindo da “ Selva” subimos 400 mts (GD 2/3) e entramos, outra vez, num ST com 400 mts, mais técnico que o anterior, onde a adrenalina vai começar a subir. Saídos deste ST andamos umas centenas de metros até ao 1º Reforço, na povoação de Sinde, percorridos que estão 15.450 mts.

Depois do reforço continuamos durante num andamento forte por uns caminhos que convidam a pedalar com energia, até passarmos por um trilho entre árvores e um campo de pasto, começando por subir 250 mts (GD 2/3) até chegar a uma pequena estrada de alcatrão. Depois de 300 mts neste piso começamos a descer para uma das zonas mais “IN” desta maratona. Um ST com 4.000 mts de extensão. Muita técnica, possivelmente alguma água e muito gozo em andar em cima de uma bike. Este ST termina depois de atravessarmos um pontão, percorridos que estão 24.000 mts.

Entramos num caminho, razoavelmente largo, até uma estrada em asfalto, saindo de imediato para piso de terra, e a subir 500 mts (GD 3/4). Depois desta subida continuamos a rolar, descendo para bem perto da albufeira da Aguieira ( rio Mondego ), até à Quinta do Pisão. Aqui, e depois de atravessarmos uma ponte romana iniciamos uma subida com 280 mts (GD 4/5). A dificuldade desta subida está no tipo de piso, que tem alguma pedra irregular, e claro que para alguns participantes a inclinação também não é das melhores. Depois deste pequeno esforço, subimos ligeiramente para a povoação de Ázere, onde o 2º Reforço nos espera. Até aqui percorremos 28.600 mts. Mais bem compostos, continuamos num piso muito bom, até uma zona de caminhos estreitos, que mais parecem uns ST´s, entre muros, que nos leva até à povoação do Espadanal. Depois de subirmos 150 mts (GD 1/2) volta a aparecer um caminho estreito entre muros. A seguir entramos num estradão e começamos a descer até junto da ponte do rio Mondego, a qual passamos por baixo. Começamos, então, a fazer a última subida, digna de registo, com 550 mts (GD 2/3/4) e com 36.650mts nas pernas. Passada que está esta subida, são mais 4.000 mts até ao local de chegada, no Pavilhão Multiusos.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s